Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
RUI MASSENA | MILA DORES - EA LIVE EVORA

RUI MASSENA | MILA DORES - EA LIVE EVORA

Música & Festivais | Concerto

ADEGA CARTUXA

Adega Cartuxa
Classificação Etária
Para todos os públicos
Bilhete Pago
A partir dos 12 anos
2018
jul
14
Realizado

Duração

120 minutos

Intervalo

Intervalo 15 min.

Promotor

EA Live Évora

Sinopse

Nos meses de Junho, Julho e Agosto, apresenta-se em formato slow fest trazendo a vivência da música ao ritmo tranquilo dos fins de tarde de Verão no magnífico Pátio de São Miguel e Adega Cartuxa - Quinta de Valbom em Évora.

Artistas como Salvador Sobral, Jorge Palma, Camané, Dead Combo, Rui Massena, Carmen Souza, Golden Slumbers, Lince, Homem em Catarse, Mila Dores, Luca Argel, O Gajo, dividirão cada crepúsculo em duas partes.

EA LIVE 2018, chegou para ficar e promete! Sobretudo para os amantes da música e do vinho.

Quer mais boas razões para visitar Évora no Verão de 2018?

Ficha Artística

RUI MASSENA - 22h
Os maestros são figuras fascinantes, quase sempre excêntricas, tocadas pelo génio. É certamente esse o caso de Rui Massena, conhecida figura do panorama cultural nacional que ajudou a transformar Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura num estrondoso caso de sucesso. Assim aconteceu também com a Orquestra Clássica da Madeira onde foi maestro e diretor artístico durante 12 anos. Fora de portas, entre muitos concertos em numerosos países destaca-se o facto de ter sido maestro convidado principal da Orquestra Sinfónica de Roma entre 2007 e 2009 e a proeza de ter sido o primeiro Maestro Português a dirigir na mítica sala Carnegie Hall em Nova Iorque. Dois exemplos da sua capacidade de extravasar as nossas fronteiras. Por cá, embarcou de corpo e alma na aventura Expensive Soul Symphonic Experience, um espectáculo onde uma orquestra clássica encontrou espaço ao lado do moderno hip hop dos nortenhos Expensive Soul e que rendeu um DVD de sucesso (o mais vendido em Portugal em 2012).

A sua vasta experiência musical dá-lhe uma bagagem invejável e singular, que, no seu trabalho mais pessoal, se traduz num fascinante universo de melodias que promete apaixonar quem se embrenhe nesta nova aventura solitária de Rui Massena. Um palco, um piano e um homem. Uma história, um monte de prémios, um percurso artístico singular. Tudo se conjuga num espetáculo único, imperdível e surpreendente.

MILA DORES - 21.30h
A portuense Mila Dores, hoje com 34 anos, começou a sua formação musical cedo, aos cinco, na Academia de Música de Vilar do Paraíso. Estudou piano e canto, tendo integrado também dois grupos corais na academia. Mais tarde, e paralelamente à licenciatura em Cinema na Universidade Católica, frequentou a Escola de Jazz do Porto. Deixaria o cinema para trás e a música (sobretudo a composição e o improviso) tornou-se, mais do que imperativa, uma necessidade: de expressão e de descoberta. Viajou então, em 2006, para Reino Unido, tendo completado, em 2009, a licenciatura em Jazz e Música Clássica Indiana no Leeds College of Music. Nesse mesmo ano, e após a licenciatura, venceu o prémio de Jovem Músico de Jazz atribuído pelos promotores britânicos Jazz Yokshire.
Mila regressou a Portugal em 2012. Concluiu depois o mestrado em Jazz Performance na Escola Superior de Música de Lisboa e é já na capital (com os músicos António Quintino, João Firmino, João Pereira e o Paulo Santo) que surgiu em 2014 um novo projecto musical, agora pop rock: Mila Dores & Os Fulminantes. O álbum “A Quem Possa Interessar” foi misturado e masterizado pelo produtor Mário Barreiros e sairia no ano seguinte, 2015, altura em que a canção “Jaula” acabaria por ser incluída na colectânea Novos Talentos Fnac. Mila actuou no festival Bons Sons, em Tomar, no Salão Brazil, em Coimbra, ou no Armazém do Chá, no Porto. O seu primeiro disco de originais, escreveu a crítica, tinha na sonoridade o melhor de Ornatos Violeta ou de Clã. A revista Sábado, escrevendo sobre “A Quem Possa Interessar”, descreveria a agora cantautora como “intimista e sofisticada”.
“Tendo voltado a estudar piano, e tendo passado tanto tempo com ele, descobri uma forma minha de escrever canções, de as interpretar, tudo cingido ao piano e à voz. As canções vêm-me directamente do coração. São histórias escritas a partir de coisas que eu vivi. Para mim escrever uma canção é algo natural. Acordo, sento-me ao piano, escrevo, às vezes termino uma canção que comecei antes”, explicaria a cantautora ao Observador, numa reportagem onde é considerada uma das mais “promissoras artistas portuguesas” da actualidade, alguém a “descobrir” (e escutar atentamente) ao longo do ano.

Abertura de Portas

20.30h

Programa / Cartaz

21.30 - MILA DORES
22.15h - RUI MASSENA

Partilhar

Serviços Adicionais